Este post foi reproduzido do site ReadWriteWeb. O autor do texto, Greg Boutin, possui um blog muito bom sobre empreendedorismo chamado Growth Times

Hoje em dia, é cada vez mais comum encontrarmos pessoas tentando iniciar empresas inovadoras, tentando juntar uma equipe e lançar um produto, e geralmente tentando mudar o mundo com seu espírito empreendedor.

Enquanto isso, a taxa de mortalidade de startups está maior que nunca e são várias as startups que ficam pelo caminho.

Não seria ótimo se pudéssemos reunir um conjunto de princípios que ajudariam na sobrevivência das startups?  Afinal, ao contrário dos humanos, não fazer nada com uma startup é um caminho certo para morte, então precisamos ser mais pró-ativos.

Aqui está um rascunho, ou podemos dizer uma versão alfa, de uma lista, baseada nas contribuições de outros empreendedores e na minha própria experiência como empreendedor e consultor de startups. Faça suas próprias sugestões de alterações na seção de comentários. Pois cada contribuição pode ajudar aos nossos amigos empreendedores que se encontram em situações específicas parecidas com a sua. Aqui está:

Guia de Sobrevivência da Startup

  1. Esta dica é óbvia – vigie seu fluxo de caixa. Se o seu plano é financiar a sua startup com investidores ou através de receitas, planeje com antecedência. Todos os próximos princípios vão a partir deste.
  2. Descubra um problema e concentre seus esforços para resolvê-lo. Não disperse seu tempo entre os demais concorrentes, nem com atividades independentes.
  3. Identifique o seu mercado alvo e consiga feedback deste mercado o quanto antes. Procure entender suas perspectivas e as de seus clientes.
  4. Estruture e desenvolva uma solução mínima viável o mais rápido possível. Uma solução mínima viável é algo através do qual você consiga extrair comprometimento sério de um cliente em potencial ou um investidor.
  5. Fique cercado de pessoas dedicadas e eficazes. Monte uma pequena equipe de grandes jogadores, e cultive um círculo de adeptos com conhecimento e/ou recursos. Incentive a todos de forma inteligente e não economize para recompensá-los.
  6. Aprecie a diferença entre early adopters e perspectivas mainstream. Saiba exatamente qual vai ser o seu target, e adapte-se a ele.
  7. Considere outras fontes de poder competitivo, e além da  sofisticação tecnológica, por exemplo, experiência ou serviço ao consumidor superior, parcerias exclusivas de distribuição ou outras vantagens baseadas no mercado.
  8. Tenha um plano para se diferenciar do resto do mercado. Entenda que construir um ótimo produto é necessário, mas raramente suficiente para ter um ótimo negócio, ele precisa ser comercializado de uma maneira ou de outra.
  9. Invista tempo na seleção e teste de modelos de negócio, e esteja disposto a fazer mudanças de acordo com o aprendizado.
  10. Seja criativo e engenhoso para alcançar seus objetivos. Busque soluções baratas, e não desista diante da adversidade, mas procure aprender e adaptar sua abordagem para superar obstáculos.

E finalmente, lembre-se que as startups as vezes precisam de “morrer”, para seu próprio bem. Medo do fracasso é o caminho mais rápido para o fracasso de um empreendedor. Se cair, levante-se e tente novamente.