Fonte: Technology Ventures – From Idea to Enterprise, Drof C. R. e Byers H. T.

Este é o 27 artigo da série Criando EBTs de Sucesso. É o segundo texto do módulo V– Tecnologia, Inovação e Timing  – seção I e foi extraído do livro Technology Ventures – From Idea to Enterprise

Seção I – Aborda o início de uma EBT alinhada com pontos vitais para o sucesso
Módulo V –
Tecnologia, Inovação e Timing

REDE DE VALOR E AS ALIANÇAS

Muitos negócios usam a estratégia da competitividade para moldar suas estratégias de negócios, mas freqüentemente ignoram as estratégias cooperativas. Os negócios são uma mistura complexa tanto de competição como de cooperação.

As redes de valor são importantes para empreendimentos de risco porque elas se esforçam para acumular os recursos e capacidades requeridas pelo sucesso.

A formação proativa de alianças estratégicas é uma dimensão importante da atividade empresarial permitindo que uma empresa nova adquira acesso a ativos estratégicos necessários, mas não possuídos. Todas as alianças são baseadas em alguma troca de conhecimento, em adição ao fluxo de produtos, capital ou tecnologia.

A configuração de alianças de uma start-up impacta seu desempenho inicial, Alianças externas podem ser um substitutivo para recursos internos. A decisão de uma empresa de entrar em uma aliança deve ser motivada pelo desejo de explorar uma capacidade ou tecnologia existente, ou explorar novas oportunidades e novas tecnologias [Rothaermel e Deeds, 2004].

Uma empresa nova deve considerar o desenvolvimento de uma aliança quando lhe faltar os ativos necessários que um complementador possa fornecer. Na seleção de um parceiro deve ficar claro quais capacidades ou recursos faltantes são requeridos. Então, deve ser determinado que empresas possuem estes ativos e avaliadas suas características. Será necessário construir uma relação de confiança com o parceiro em potencial e negociar um acordo que traga benefícios para ambos os parceiros.

A empresa empreendedora pode estar procurando acesso a ativos necessários, mas pode, como resultado, estar exposta ao risco de perder seu próprio conhecimento interno vital. A transferência de conhecimento ocorre em conversações ou associações e é muito difícil de ser controlada.

Os benefícios das alianças podem ser significativos. Ambas as empresas aprendem e adquirem novas capacidades. Adicionalmente, elas têm acesso a recursos complementares que não podem duplicar facilmente. Um novo empreendimento de risco deve considerar prudentemente o desenvolvimento de uma ou duas parcerias compatíveis com seus objetivos estratégicos. Caminhar sozinho pode ser uma grande responsabilidade para os empreendedores. Inovadores que se juntam em alianças podem ter mais sucesso, principalmente onde prevalecem incertezas. Poucas empresas start-up terão todas as capacidades e recursos necessários e as redes de alianças podem permitir que elas evoluam eficazmente. O tipo de aliança pode variar desde um projeto de associação de curto prazo até um processo de fusão, como mostrado na Figura 5.5.