O site administradores.com publicou um post bem interessante para que as pessoas entendam e façam a análise  SWOT. São 16 perguntas que facilitam a criação de planos e ações estratégicas.

Com a crise financeira, torna-se evidente aos gestores a necessidade de se encontrar alternativas estratégicas para alcançar soluções viáveis e resultados a curto, médio e longo prazo. Porém, o grande dilema desses líderes é como trabalhar para conseguir esses objetivos? Será que a busca por informações estratégicas e seu processamento de forma inteligente pode ser uma boa saída?

De acordo com o Coach executivo e de equipes e diretor da UP Treinamentos & Consultoria, Carlos Cruz, há uma ferramenta usada no mercado que pode criar ações estratégicas em momentos de incerteza, permitindo conhecer os fatores favoráveis e desfavoráveis do mercado, além de situar a organização dentro do seu real contexto.

“É preciso tomar decisões com qualidade e colocar em prática as boas ideias. No entanto, tudo deve ser feito com cautela e com a estratégia adequada. Falo isso porque é muito comum encontrarmos casos de empresas com produtos e serviços inovadores, mas que acabam pecando nas estratégias de atuação frente ao mercado em que atuam”.

SWOT

Segundo Cruz, nesses casos de desenvolvimento de estratégia eficazes em momentos de incerteza, muitas empresas utilizam uma ferramenta de análise chamada SWOT. O termo é uma sigla em inglês que representa a junção de Força (Strenghts), Fraquezas (Weaknesses), Oportunidade (Opportunities) e Ameaças (Threats).

“A análise SWOT é um sistema simples que tem por objetivo verificar a posição estratégica da empresa no ambiente em questão. A análise se divide em: ambiente interno, composto pelos itens forças e fraquezas; e externo, relacionado às oportunidades e ameaças. A partir dessa divisão, é possível estabelecer aquilo que é de responsabilidade da empresa, e o que é uma antecipação do futuro, ou seja, o que se pode traçar a respeito de possibilidades positivas ou negativas do macro ambiente econômico”.

Procedimento

Cruz ressalta que, depois de fazer o levantamento de dados, é chegada a hora de cruzar as informações, para que, dessa maneira, seja possível encontrar alternativas para a sua operação de negócios.

“Combinando fatores externos e internos, você terá a chance de saber como suas forças podem servir como impulso para aproveitar as oportunidades já existentes no mercado, ou, ainda, saber a forma de se reposicionar em relação às fraquezas, para não sofrer as conseqüências das ameaças encontradas”, revela.

Faça o seu SWOT

Cruz finaliza afirmando que SWOT pode ajudar a avaliar uma empresa, um projeto, produtos, serviços e até mesmo uma equipe. Ficou interessado em fazer uma SWOT? Basta responder as seguintes perguntas das quatro vertentes de análise:

  • Pontos Fortes

    1- O que você, sua empresa e equipe fazem bem?
    2- Que recursos especiais você possui e pode aproveitar?
    3- Quais são os seus diferenciais?
    4- O que a concorrência, a equipe, os clientes e os fornecedores acham que você faz bem?

  • Pontos Fracos

    5- No que você precisa ficar atento?
    6- O que precisa melhorar?
    7- Onde deve se blindar?
    8- Onde possui menos recursos que os demais?
    9- Quais são suas fraquezas identificadas pelos outros?

  • Ameaças

    10- Que ameaças (leis, regulamentos, concorrentes) podem lhe prejudicar?
    11- Qual o ponto forte do seu concorrente que pode ser uma ameaça para você?
    12- Quais as estratégias e diferenciais dos seus concorrentes?

  • Oportunidades

    13- Quais são as oportunidades externas que você pode identificar?
    14- O que seu cliente deseja e precisa que pode servir como oportunidade de negócio?
    15- Como agregar valor ao seu produto e ao seu serviço?
    16- Que tendências você pode aproveitar a seu favor?

Após responder essas perguntas, será possível criar planos de ações estratégicas e, consequentemente, alcançar melhores resultados.