Esta é a segunda parte do texto traduzido do site interactive.com, o qual  mostra dicas importantes para as empresas que querem se destacar no mercado e ter vantagem competitiva. O foco deste artigo é a importância de se conhecer seu negócio e de analisar a concorrência.

Defina-se

Antes de os seus clientes chagarem a conhecê-lo, é importante primeiro se conhecer e conhecer a missão da sua empresa no mercado. Em um mundo altamente competitivo, não é suficiente simplesmente dizer: “Eu tenho um cartão de loja”. É necessário definir o tipo de cartão de loja. Você é um cartão de loja genérico, que pode ser facilmente adquirido em outras lojas? Ou você é especialista em cartões incomuns, atraindo assim as pessoas que necessitam de cartões que são únicos e não disponíveis em outros locais?

Você precisa responder as seguintes perguntas:

* O meu produto ou serviço é único, e em caso afirmativo, por quê?
* A maneira que eu opero meu negócio é única ou original?
* Eu sirvo a um nicho específico de mercado? Há outros mercados que poderiam se beneficiar do meu produto ou serviço?
* Meus empregados são um trunfo que nos diferencia dos nossos concorrentes?

Defina seus competidores

 Agora que você tem uma compreensão clara de quem você é, você deve fazer uma lista de todos os seus concorrentes e monitorá-los em uma base regular. Para competir, você deve compilar os seguintes dados sobre cada concorrente:

* Quais são seus pontos fortes?
* Quais são as suas fraquezas?
* Quais são as suas capacidades?
* Quem é a base de clientes deles?
* Quais são as suas receitas?
* São as suas margens de lucros crescentes?
* Quais são as suas estratégias de promoção e marketing?
* Quais são as suas ofertas atuais?
* Quais são os seus objetivos futuros?

Recolher dados sobre todos os seus concorrentes pode, por si só, ser um trabalho em tempo integral. Para tornar mais fácil para você, você deve perceber que  monitorar cada concorrente todos os dias da semana é, provavelmente, uma impossibilidade. Portanto, você deve classificá-los em categorias e priorizá-los, perguntando-se quem é a maior ameaça. A seguir são sugeridas maneiras de categorizar os seus concorrentes:

Competidores Head-to-Head

Estas são as empresas que competem mais diretamente com você. Seu produto é similar. Os clientes comparam seus produtos ou serviços em termos de preço, qualidade e serviço. Estas empresas devem ser controladas em uma base semanal.

Competidores de primeira linha

Essas organizações competem com você, mas não para tudo. Elas podem tentar atrair um tipo específico de cliente de você, ou vocês podem ser semelhantes apenas em uma determinada área. Este é um grupo importante, pois podem decidir se expandir e competir com você mais diretamente. Você deve segui-los pelo menos 1 ou 2 vezes por mês.

Concorrentes indiretos

Estes concorrentes tendem a estar em segundo plano. Você só vai encontrá-los ocasionalmente. Seus produtos geralmente servem como alternativas para o seu. Mas não se engane, essas empresas ainda são concorrentes.  Você pode querer rever essas empresas três ou quatro vezes por ano.

No monitoramento dos concorrentes, é importante traçar seus pontos fortes e fracos. Ao comparar pontos fortes dos concorrentes com os da sua empresa, você vai ver claramente quais são as ameaças que podem vir.  Ao examinar as fraquezas, você pode encontrar oportunidades diretas para sua empresa.

Embora você gaste menos tempo monitorando algumas empresas e mais tempo em outras, é importante que você monitore todas elas. Um erro comum é subestimar certos concorrentes. Ao fechar os olhos para o que está lá fora, você pode colocar sua empresa em uma enorme desvantagem. Muitas vezes são as empresas “descartadas” que acabam surpreendendo.

É pouco provável que seus concorrentes forneçam informações sobre suas empresas para você. Então, como você descobre exatamente o que eles estão fazendo? Felizmente, nesta sociedade tecnologicamente avançada, você não tem que ser do FBI ou da CIA para espionar outras empresas. Você pode facilmente descobrir como eles estão fazendo através de certas fontes, incluindo:

* Mídia social, tais como LinkedIn, Facebook e Twitter
* Visita a concorrência
* Análise de mercado
* Fornecedores e distribuidores
* Feiras
* Seminários
* Empregados
* Clientes
* Websites
* Publicações especializadas
* Jornais e revistas